Fique Gata Gastronomia

55 receitas de risoto para impressionar na cozinha

receitas-de-risoto

Um dos pratos mais apreciados do mundo todo é de origem italiana, muito conhecido devido à sua textura cremosa e destaque por conta de sua versatilidade. O risotto — palavra que, em tradução literal, significa “arrozinho” — pode ser servido como acompanhamento, prato principal ou até mesmo como entrada, e essa decisão pode ser tomada de acordo com os saborizantes utilizados e seu gosto pessoal.

“Um bom risoto depende de bons ingredientes, um bom arroz do tipo certo e, é claro, o tempo de cozimento”, aponta o Chef Wellington Laudares, do restaurante Orange Bistrô. Normalmente, a receita é feita com o grão do tipo arbório, mas também há as variações carnaroli (a favorita na Itália) ou vialone nano; isso porque esses são os formatos que mais contêm e liberam maior quantidade de amido durante a cocção, o que interfere diretamente no tempo de fogo e na cremosidade final.

Para atingir a perfeição, o maior segredo do risoto é a prática, pois uma receita bem-sucedida depende sobretudo do domínio de sua base. No Brasil, costuma-se consumir o arroz mais macio e, segundo a Chef Alejandra Faúndez, da AF Gastronomia, por isso “é normal que a maior dificuldade que as pessoas tenham no preparo seja acertar o ponto al dente, porque acham que está cru e acabam deixando que passe do ponto, transformando-o em uma massa densa ao invés de um arroz soltinho e cremoso”.

A partir disso, é possível fazer adaptações para todos os paladares e orçamentos, bastando apenas a criatividade para dar origem a uma refeição agradável e única. “Dedico a minhas preparações equilíbrio e suavidade: risoto já é um prato consistente e, acrescentando muitos itens, torna-se pesado. Busco equilibrar a quantidade de carnes e ressalto seu sabor na receita de forma suave”, exemplifica Wellington.

Provando que o risoto é super democrático, a lista abaixo apresenta 55 variedades da receita, desde a base do prato às combinações clássicas com ingredientes finos, passando por apostas improvisadas com o que se tem na geladeira.

Carnes bovinas e suínas

Cozinha Travessa

Foto: Reprodução / Cozinha Travessa

1. Risoto de filé mignon: para os fãs de carne, Dani Oliveira ensina uma receita de risoto cuja porção rende para duas pessoas. O truque especial ensinado pela blogueira é de adicionar uma colher de manteiga para arrematar o prato. Além disso, é fundamental que o caldo de carne já esteja pronto quando o preparo do arroz for iniciado.

2. Risoto de bacon com ervilha: por se tratar de uma iguaria sempre trabalhada a partir de uma base, o risoto permite inúmeras adaptações para que fique perfeito ao seu paladar. Nessa receita, Nise modificou o clássico vêneto, substituindo a panceta pelo bacon.

3. Risoto de carne seca: prática e diferenciada, a receita de Oslaine apresenta a alternativa de ser cozinhada na panela de pressão — o que diminui seu tempo de preparo — e ganha um ingrediente menos usual no risoto: a cerveja preta!

4. Risoto “indiano”: uma das especiarias indianas mais conhecidas é o curry, que confere um sabor forte e ardente aos pratos. Inspirada nessa culinária tão marcante, a blogueira Paula usou o tempero como ingrediente principal para um risoto prático e rápido.

5. Risoto à carbonara: uma das receitas de massas mais clássicas é a de espaguete à carbonara, que serviu como base para o prato criado por Alex. O blogueiro ressalta a importância de deixar o arroz fritar até que fique translúcido, pois esse é o processo responsável por saborizar o risoto.

6. Risoto de presunto parma: com o preparo de cerca de 20 minutos, André revela dois grandes segredos do seu risoto de presunto parma: o vinho utilizado na receita deve ser o que mesmo que será servido à mesa e o caldo deve ser adicionado cuidadosamente, já que é o fator determinante para que você chegue ao ponto al dente, o mais indicado para massas e risotos.

7. Risoto de carne moída com provolone: perfeita para reinventar a carne moída do dia a dia, a receita de Priscila é fácil, simples de fazer e uma alternativa certeira!

8. Risoto de carne com cenoura: provando que o risoto pode ser adaptado a todos os gostos, Wesley aposta no contra filé e na cenoura para compor seu prato. O blogueiro enfatiza a importância de que o caldo utilizado seja de boa qualidade e, inclusive, recomenda que esse ingrediente também seja preparado em casa.

Pilotando um Fogão

Foto: Reprodução / Pilotando um Fogão

9. Risoto de abóbora com carne seca: uma combinação grastronômica super brasileira é a de carne seca com abóbora. Augusto apostou na dupla para cozinhar um risoto digno de chef de cozinha, mas de preparação simples, embora demande cerca de uma hora de fogo.

10. Risoto de filé mignon e shitake: para os vegetarianos, a receita de risoto de filé mignon com shitake pode facilmente ser adaptada para que a carne seja excluída. Já para quem deseja saborear o prato completo, Tatiana recomenda que o filé seja temperado pelo menos uma hora antes da preparação e que todo o cozimento seja feito em fogo baixo, para que os ingredientes não fiquem com textura de borracha.

11. Risoto de carne seca com banana da terra: essa é a receita perfeita para quem não recusa a mistura de banana com a comida! Clau Alaminos prova que é possível saborizar o risoto de modo que fique agradável ao seu paladar e ensina a preparar o prato em cerca de 40 minutos.

Aves

Blog da Mimis

Foto: Reprodução / Blog da Mimis

12. Risoto prático de frango: para aproveitar sobras de outras refeições, Michelle incrementa o arroz integral e, com a ajuda de cream cheese, transforma-o em um risoto super prático e saudável, saborizado com frango e um mix de legumes.

13. Risoto de Chester defumado: vedete das festas de final de ano para milhares de brasileiros, o Chester foi reinventado por Rosley, que o incorporou em uma receita apetitosa de risoto, que ainda leva queijo e cream cheese para acentuar a cremosidade do prato!

14. Risoto de abobrinha e peito de peru: adequar o risoto às suas necessidades é muito fácil, já que o arroz pode harmonizar com ingredientes que agradam a todos os paladares e, assim, o preparo também pode ser encaixado no tempo que você tem disponível. Nessa receita, por exemplo, Dani Lazzarini aposta no peito de peru embutido, que não precisa de cozimento.

15. Risoto de peito de peru com cream cheese: aproveitando o sabor leve do peito de peru, Nathalia opta por usar castanhas do Pará para deixar o paladar do risoto mais marcante e adicionar crocância ao prato.

16. Risoto de alho poró com peru defumado: seguindo a linha de receitas práticas e leves, Giana escolhe o alho poró para harmonizar com o peito de peru defumado. Ao usar embutidos, a dica da blogueira é adicionar sal cuidadosamente, pois o peito de peru, assim como o caldo de legumes e o queijo já são salgados.

17. Risoto de frango com espinafre: para um prato saudável e colorido, Wesley escolhe o espinafre para harmonizar com o frango. A erva deve ser cortada em tiras e não precisa ser refogada previamente.

18. Risoto de frango com queijo coalho: Amanda afirma que o principal segredo para um risoto perfeito é cozinhar com paciência. A blogueira compartilha uma receita apetitosa de frango com legumes e queijo coalho, que deve ser preparada com o caldo de legumes mantido em fogo constante e adicionado lentamente, concha a concha, depois que a receita começar a liberar um aroma parecido com o que amêndoas.

19. Risoto de frango simples: para uma receita menos elaborada, Paula sugere que o frango seja desfiado grosseiramente e que o arroz seja mexido apenas de vez em quando. A blogueira ainda compartilha uma receita especial de caldo de frango, que deve ser preparada previamente e mantida no fogo durante o tempo de cozimento do risoto.

20. Risoto de frango com açafrão: para uma refeição de prato único e preparo rápido, Milenna apostou no risoto de frango com açafrão. Aqui, o caldo tradicional de frango ou legumes é substituído por uma mistura de um litro de água aquecida com três colheres de açafrão, que é adicionada aos poucos durante o cozimento do arroz. A blogueira também troca o tradicional vinho branco por suco de maracujá e ainda dá a dica: se não tiver arroz arbório em casa, acrescente requeijão, para deixar o arroz comum mais cremoso.

21. Risoto prático de frango com requeijão: conforme sugere Milenna, nesta receita o preparo do risoto é facilitado pelo requeijão. Com o frango já frito, Simone cozinha o arroz em um caldo de frango industrializado dissolvido em um litro e meio de água. Para finalizar o prato, o requeijão é adicionado junto à colher de manteiga, que confere aquela aparência brilhante e molhadinha tradicional.

Foto: Reprodução / Cozinha Dal Bó

Foto: Reprodução / Cozinha Dal Bó

22. Risoto de frango com limão siciliano e manjericão: para quem gosta de uma cozinha bastante aromatizada, a receita compartilhada por Angelo é perfeita! Nesse caso, é necessário ter cuidado com altura da chama, que precisa ser ajustada de acordo com as etapas do preparo. Além disso, também é necessário temperar o frango um pouco antes de dar início ao cozimento dos outros ingredientes, pois a carne deve marinar durante um tempo. O blogueiro também indica como acompanhamento uma farofa de pão e amêndoas, a qual recomenda que seja preparada antes do prato principal, porque pode ser servida fria.

23. Risoto 7 grãos de frango: para as pessoas que não dispensam uma refeição mais fitness, Luciana traz uma solução rápida e saborosa: substituir o arroz próprio para risoto pelo tipo integral de 7 grãos. O processo de cozimento não muda em nada e a saborização pode ficar por conta de ingredientes “semi-prontos” contidos na geladeira, no caso, o frango refogado e milho cozido.

Peixes e frutos do mar

Foto: Reprodução / Pitadinha

Foto: Reprodução / Pitadinha

24. Risoto colorido de camarão: a opção de Juliana é por transformar o risoto em um prato ainda mais atrativo por meio das cores. Com a ressalva de essa é uma receita que demanda tempo e atenção, a blogueira usa o camarão com casca a fim de aproveitar as partes como o rabo e a cabeça no preparo do caldo para o cozimento. O tempero fica por conta de pimentões amarelos e vermelhos, cebola, sal e pimenta.

25. Risoto de frutos do mar com abobrinha: perfeita para ocasiões especiais, essa receita é mais elaborada e seu preparo, dividido em etapas, exige dedicação. A primeira parte desse risoto consiste em um fumet de camarão, ou seja, a fervura de alguns ingredientes para o caldo do cozimento. Depois, com o cozimento, a saborização é feita com miolo de marisco (berbigão) e abobrinha (curgete).

26. Risoto de salmão: para um risoto de sabor suave e bem equilibrado, o protagonista do prato pode ser o salmão, cuja gordura ajuda a umedecê-lo. Para rebater o sabor forte que o peixe pode conferir à refeição, o truque da blogueira é adicionar o suco de um limão. Além disso, a semente de gergelim é uma maneira de trabalhar texturas, deixando a receita crocante na medida certa.

27. Risoto de bacalhau: para quem não dispensa um bom bacalhau, Bruna compartilha uma receita que pode ser preparada em cerca de 15 minutos. Para tanto, o peixe já deve estar dessalgado para que seja refogado pouco antes de o arroz ser posto na panela.

28. Risoto de tilápia: peixe fácil de ser encontrado, a tilápia geralmente é servida em iscas fritas, mas nada impede que seja apresentada em pratos variados e mais elaborados. De improviso, Márcia prepara um risoto de tilápia temperado com curry e saborizado também com cenouras e brócolis. Para deixá-lo ainda mais cremoso, a blogueira sugere a adição de creme de leite.

29. Risoto de camarão, alho-poró e laranja: para inovar em uma das combinações mais clássicas, Rita Lobo acrescenta alho-poró e caldo de laranja ao risoto de camarão. A dica de ouro, para a chef, é não deixar que a última concha do caldo de peixe seque completamente, o que garante que o risoto fique molhadinho.

Foto: Reprodução / Happy Ending

Foto: Reprodução / Happy Ending

30. Risoto de peixe: a receita compartilhada pelas blogueiras Manu e Beca pode ser feita com tilápia ou cioba, que devem ser cozidos durante o preparo do risoto. Para saber o momento certo de colocar o peixe na panela, a dica é aguardar até que o caldo de legumes tenha sido utilizado até a metade.

31. Risoto de lula com rúcula: uma opção simples para quem gosta de lula é a receita compartilhada pela blogueira Maria, que recomenda que o fruto do mar seja temperado somente no momento em que o caldo de legumes for preparado. Diferentemente da maioria dos risotos, este conta também com molho shoyu e pode ser cozinhado com arroz comum.

32. Risoto de lula, camarão e abobrinha: assim como na receita anterior, o ingrediente principal desta é a lula. O preparo desse risoto exige bastante atenção, já que é dividido em várias etapas e os dois tipos de vinhos utilizados precisam ser reduzidos. Além disso, Andrea revela um segredo: para um prato mais saboroso, a gordura utilizada é proveniente de frituras anteriores de bacon.

33. Risoto de frutos do mar: mexilhões, lulas e camarões compõem o prato ensinado por Maísa. A blogueira atenta para o ponto de cozimento das lulas, que devem ser acrescentadas ao risoto apenas no final, para que não fiquem com textura de borracha. Duas dicas valiosas dizem respeito ao início do preparo e à finalização. No começo, recomenda-se que o arroz seja frito por cerca de dois minutos antes que o caldo seja posto na panela, isso garante que os grãos fiquem soltinhos. O risoto deve ser finalizado fora do fogo!

Vegetarianos

Foto: Reprodução / Comidas & Rumos

Foto: Reprodução / Comidas & Rumos

34. Risoto caprese: muito comum em saladas, o tipo caprese também pode ser adaptado para o risoto. Na receita compartilhada pela família Ribeiro Lima, o arroz é cozido em um preparo especial de caldo de tomate e ainda é complementado por aliche, mussarela de búfala, rúcula, alcaparras e outras três versões de tomate: massa, desidratado e cereja.

35. Risoto rápido: para quem precisa de agilidade na cozinha, Rita Lobo traz a solução: mudando a proporção dos ingredientes, o risoto pode ser feito na panela de pressão, o que reduz o seu tempo de preparo para cerca de 10 minutos.

36. Risoto colorido com arroz comum: para reaproveitar o arroz comum que sobrou de outra refeição, a sugestão de Maira é adaptá-lo para um risoto rápido, fácil e gostoso. Nesse caso, os grãos devem ser adicionados por último, depois que seus saborizantes já estiverem prontos.

37. Risoto de arroz integral e legumes: a prova de que uma alimentação balanceada e seguindo a linha fit não precisa ser ruim é este risoto! A receita ensinada por Ana é feita com arroz integral, que deve ser cozido separadamente dos outros ingredientes. Com essa etapa pronta, basta misturar tudo, até que o arroz incorpore bem os legumes.

38. Risoto de palmito: inspirada em uma receita de panqueca, Bruna utiliza ingredientes básicos, como cebola e alho, para fazer um risoto de palmito. A blogueira alerta: acrescente o palmito apenas quando o arroz já estiver quase pronto, caso contrário sua consistência poderá ser alterada.

39. Risoto de queijo Minas: a receita de risoto de queijo Minas preparada por Kris é cheia de dicas e truques para quem não tem muita experiência com esse tipo de prato. Dois destaques muito importantes dos ensinamentos da blogueira são: para iniciantes, o arroz do tipo carnaroli é o mais fácil de ser manipulado para um resultado mais satisfatório e, no que diz respeito ao tempero, o sal deve ser acrescentado somente depois que todos os ingredientes já estiverem na panela, já que o caldo ou o queijo já podem tornar o prato salgado.

40. Risoto de queijo brie com ervas: seguindo os passos básicos para o preparo de um risoto, Bruna compartilha uma receita com queijo brie e ervas, as quais devem ser frescas. O queijo de sabor delicado deve ser adicionado juntamente com o tipo parmesão, ao final do cozimento do arroz. A blogueira ainda destaca um ponto importante da cozinha: antes de concluir uma receita, é sempre importante experimentá-lo, para que, assim, possíveis desajustes de tempero ou de ponto possam ser corrigidos antes de o prato ser servido.

Foto: Reprodução / Receitinhas da Brunildinha

Foto: Reprodução / Receitinhas da Brunildinha

41. Risoto de alho-poró e parmesão: refinado, o risoto de alho-poró com parmesão é simples de ser feito e exige poucos cuidados diferenciados dos processos básicos de cozimento de um risoto. Neste caso, parte do alho-poró é refogado junto à cebola e ao alho comum, antes do arroz ser posto na panela, o que libera o sabor suave do ingrediente. O restante é adicionado apenas no final do cozimento, com o queijo parmesão, para que sua textura e consistência sejam preservadas.

42. Risoto de funghi: um dos tipos mais clássicos de risoto é o de funghi. Aqui, a receita é a apresentada pela blogueira Ro Julião, que mostra que, apesar de ser mais elaborada, pode facilmente ser preparada por pessoas que não têm muita experiência na cozinha. O segredo desse prato é que o funghi precisa ser lavado e hidratado antes do cozimento!

43. Risoto de shitake e queijo brie: cogumelos como o shiitake também podem ser incorporados ao risoto com facilidade. Patrícia harmoniza o ingrediente com queijo brie, mas afirma que qualquer outro queijo pode tornar o prato igualmente saboroso. Para não errar no ponto do shiitake, a dica da blogueira é que o cogumelo seja mantido longe da água e que seja refogado somente até murchar um pouco.

44. Risoto de shimeji: outro tipo de cogumelo que vai muito bem num risoto é o shimeji. Esse ingrediente deve ser salteado enquanto o arroz está no fogo e seu cozimento deve acontecer apenas quando o risoto já estiver quase pronto. A blogueira Raquel enfatiza a importância de se deixar todos os ingredientes separados e, se for o caso, cortados, para que seus usos sejam ágeis.

45. Risoto de salsa e cebolinha: é possível usufruir da versatilidade do risoto mesmo quando a despensa e a geladeira estão vazias. A solução de Carol para um dia como esses foi incrementar o arroz apenas com salsa e cebolinha, formando um prato que dispensa acompanhamentos. A dica da blogueira para quem vai preparar um risoto desses é abusar na quantidade de cheiro verde, já que o tempero tende a diminuir de volume ao ser cozido.

46. Risoto de abobrinha: cremoso é o melhor adjetivo para descrever a receita compartilhada por Eline. Aqui, a abobrinha não entra na panela apenas com o cozimento do arroz, mas é preparada antes, em forma de purê. Ao contrário do que acontece na maioria dos risotos, o vegetal é agregado ao arroz antes mesmo do caldo de legumes, que deve ser adicionado aos poucos e ainda fervente.

47. Risoto de brócolis com queijo: uma constante no risoto, além do arroz, é o caldo, que pode ser de legumes, frango, carne ou um fumet de peixe. Na receita ensinada por Polyana, o brócolis faz toda a diferença ao se tornar o ingrediente principal do prato e a água de sua fervura ainda é usada para o caldo, o que confere ainda mais sabor ao risoto.

48. Risoto de aspargos e brie: o risoto de aspargos com brie preparado pela blogueira Dani tem o vegetal frito juntamente ao alho e à cebola. O arroz, nessa receita, é embebido em vodca. Duas dicas são importantes para que o prato fique perfeito: nunca se esqueça de remover a capa branca do queijo, que não pode ser derretida, e pode ser interessante tirar também a pele do aspargo, que, do contrário, pode deixar o risoto com um paladar amargo.

Foto: Reprodução / Enfim Casada

Foto: Reprodução / Enfim Casada

49. Risoto de rúcula, tomate seco e brie: com saborizantes marcantes, esse risoto é capaz de impressionar sem demandar muito trabalho, já que a receita não exige que nenhum de seus ingredientes seja preparado separadamente. Para deixá-lo ainda mais gostoso, o tomate seco pode ser adicionado juntamente ao caldo de sua conserva. Também vale lembrar que a rúcula só deve ir para a panela quando o arroz já estiver quase pronto, para que não desmanche ou murche demais.

50. Risoto de Margherita: um dos sabores italianos mais clássicos é a Margherita, que consiste em uma combinação de ingredientes inspirada nas cores da bandeira do país: mussarela de búfala (branca), manjericão (verde) e tomate (vermelho). O risoto preparado por Kelly oferece essa mistura de sabores, que vão para a panela apenas quando o arroz já está quase pronto.

51. Risoto de limão siciliano: perfeito para acompanhar pratos mais elaborados, como peixes assados, por exemplo, esse risoto é simples e fácil de ser feito. O limão é utilizado em raspas e em suco e pode ser adicionado assim que o caldo de legumes começar a ser posto — pouco a pouco — na panela.

52. Risoto simples: para dar conta da versatilidade do risoto, é válido dizer que dominar o seu preparo enquanto prato básico é melhor caminho para criar receitas apetitosas. Para que não restem dúvidas, Tatiana elabora um passo-a-passo e destaca que o arroz deve ser cozido sempre em fogo baixo e mexido para que não grude na panela.

53. Risoto milanês: um dos risotos mais tradicionais e refinados do mundo tem razão de ser: o tipo milanês ou “alla milanese” tem como protagonista o açafrão vermelho, conhecido por ser a especiaria mais cara e rara do mundo. Nessa receita, o ingrediente especial deve ser adicionado depois de 10 minutos de cozimento do arroz e Bruna ressalta que, como o sabor do açafrão será destacado, vale a pena investir em um de boa qualidade.

54. Risoto piamontese: outra variação super clássica do risoto é o piamontese, que tem como ingredientes saborizantes (muito) queijo parmesão e champignon. Nesse caso especificamente, o modo de preparo é um pouco diferente: o caldo não precisa ser adicionado aos poucos e, durante o cozimento, o arroz não precisa ser mexido constantemente, basta deixá-lo em fogo baixo.

55. Risoto de alecrim e limão com tomate cereja: com inspiração primaveril, Sandra aposta no limão, no alecrim e no tomate cereja para criar um risoto de sabor equilibrado e suave. O grande diferencial dessa receita é como o tomate é preparado: ao invés de ser apenas adicionado na panela, o fruto é previamente assado, o que acentua seu paladar.

Arrozes mais usados em risotos e como harmonizá-los

Originalmente, as receitas de risoto não contam com o creme de leite como um ingrediente básico. A cremosidade do prato está ligada, portanto, ao amido do arroz, que é liberado em maior quantidade nos tipos de grãos mais arredondados, como o arbório, o carnaroli e o vialone nano.

Para entender melhor as especificidades de cada um desses arrozes, confira as definições do Chef Wellington Laudares:

  • Arbório: o mais comum dos três e mais fácil de ser preparado por não exigir muito cuidado para atingir o ponto al dente, o arroz arbório “possui uma enorme capacidade de absorção de líquidos e, apesar disso, não adquire uma consistência muito cremosa”, explica. Combiná-lo com espumante brut é a melhor dica para quem tem receio de preparar um risoto com aspecto viscoso! Além disso, esse grão é o mais indicado para harmonizações com carnes vermelhas.
  • Carnaroli: segundo o Chef, esse tipo de arroz já conta com uma cremosidade natural e combina especialmente com refeições mais leves e saudáveis, com vegetais e vinho branco.
  • Vialone nano: “ele é com certeza o que adquire consistência mais cremosa e combina bem com ingredientes mais delicados, como frutos do mar”, afirma Wellington.

Embora esses sejam os arrozes mais recomendados para o preparo de risotos, também é possível utilizar os “normais”, que fazem parte do cotidiano brasileiro, caso você prefira ou não tenha os tipos italianos em casa. “Porém, deve-se ter muita atenção ao ponto do arroz, já que ele é mais frágil e contém menos amido que aqueles próprios para o prato”, alerta a Chef Alejandra Faúndez.

Tendo esse cuidado como uma prioridade na hora do preparo de risotos com arrozes comuns, a Chef indica o uso do grão integral para refeições mais saudáveis e funcionais. Por fim, Alejandra ressalta a importância de sempre se usar um vinho de boa qualidade, o qual você sentiria prazer em beber, para evitar sabores desagradáveis no seu prato: “compre um bom vinho para a base e brinde com o restante!”.

MIlton Nunes

Comentar

Click here to post a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *