Artigos & Dicas Plantas

Plantas venenosas para cachorros e gatos

“Meu pet sempre come uma plantinha quando está com dor de barriga e, depois de vomitar, fica bem”. Esta frase é bastante comum entre os tutores de cachorros e gatos, mas o que muitos não sabem é que, em várias casos, essas plantas podem não estar fazendo assim tão bem para o animalzinho.

Muitas vezes, cães e gatos vomitam depois de comer uma “planta comum de quintal” como um sinal de intoxicação e, sim, são diversas as plantas que podem fazer mal aos nossos peludos!

Cachorros e gatos podem comer plantas?

Depende. Algumas ervinhas podem ser benéficas aos nossos animais de estimação. Folhas de hortelã, salsa, gramíneas, manjericão, lavanda, erva cidreira, entre outros estão liberados e podem ser ingeridos sem problemas. Alguns, inclusive, ajudam – e muito – quando eles se sentem enjoados ou quando um alimento não caiu bem.

Plantas venenosas para cachorros

É comum que tutores de pets aceditem que plantas venenosas passam longe de seus quintais ou da decoração da casa, mas acredite: na maioria dos casos, o perigo está muito mais próximo do que imaginamos.

Se você tem uma samambaia na sala, um vaso com espada de são jorge na porta e/ ou ganhou um buquê com copo de leite ou lírio da paz, é hora de acender um sinal vermelho: todos eles são tóxicos (e bem perigosos) para nossos filhos de quatro patas.

Vale lembrar aqui que, em algumas situações, a intoxicação pode acontecer ao longo do tempo e não ser tão aguda/ rápida quanto pensamos. Determinados tipos requerem ingestão contínua e frequente para intoxicar, enquanto outros bastam um único contato para causar grandes danos.

Sinais de intoxicação por plantas

Os sinais de intoxicação por plantas são bastante variados e dependem do tipo de planta, da quantidade ingerida, do tempo que passou desde a ingestão, do tamanho do animal, sua idade e estado geral de saúde.

Cachorros filhotes, que são mais curiosos e tendem a aprontar com mais frequência costumam ser mais susceptíveis, mas nada impede que um pet adulto, que há anos convive com a planta, não se intoxique algum dia.

Se você notar mudanças de comportamento, vômito, diarréia, presença de sangue, apatia, euforia ou qualquer outra alteração importante no estado do seu animalzinho, corra para um consultório veterinário.

Durante a consulta, mencione a presença de plantas em sua residência ou no local em que o pet estava. Se não souber o tipo ou nome da planta, se possível, leve uma amostra ou uma foto, pois isso facilitará o tratamento.

Quando a planta não é identificada, o tratamento será de suporte, ou seja, visando minimizar os sintomas que o animal apresenta no momento. Intoxicação é algo grave e pode colocar a vida de cachorros e gatos em risco.

Como evitar intoxicações por plantas em cães e gatos

Na dúvida, a melhor opção é não ter a planta que pode ser tóxica. Não há melhor método de prevenção do que este, porém, se isso não for possível, certifique-se de que o pet não tenha acesso a ela sem a sua supervisão.

Além de intoxicar, algumas plantinhas podem, ainda, provocar alergias nos animais. Em caso de dúvidas, converse com um biólogo ou um médico veterinário.

Redaçao

+ Comentário

Clique aqui para comentar o post

O seu endereço de e-mail não será publicado.

REDE SOCIAL

setembro 2018
S T Q Q S S D
« ago    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930